Pai e Filho são acusados de matar e sumir com corpo de Gabriel Caetano, desparecido há quase um ano

2
1875

Corpo de Gabriel ainda não foi encontrado

A Polícia Civil, através do delegado Érico Rodovalho, apresentou os dois suspeitos de assassinarem Gabriel Caetano dos Reis, desaparecido desde o dia 21 de junho do ano passado. Mais duas pessoas estariam envolvidas no homicídio, mas seguem foragidas.

O caso foi solucionado depois de quase um ano do desaparecimento do jovem, após uma intensa investigação da Polícia Civil de Patos de Minas que reuniu várias evidências do crime e apontou Hélio José Souto e Igo Vinicios Gonçalves Souto como os principais suspeitos do crime. Anteriormente, pai e filho teriam negado o crime, só que no últimos dias, em depoimento os dois acabaram confessando o homicídio e contou como tudo aconteceu.

Segundo a PC, tudo teria começado após a morte de Maycon Borges de Sousa, morto por um disparo de arma de fogo na avenida Adrião Caixeta Ribeiro, bairro Boa Vista. Nesse crime, Maycon estava acompanhado de duas pessoas, sendo um deles Gabriel Caetano.

Devido a isso, enquanto o velório de Maycon era realizado na sua residência, alguns familiares (Hélio José Souto, Higo Vinicios Gonçalves Souto, João Carlos Fernandes e Altamir Vicente Fernandes), resolveram conversar com as duas testemunhas presenciais daquele crime, mas em um local mais afastado.

Então, todos saíram em um veículo VW/Gol e após andarem por ruas da cidade, os envolvidos resolveram estacionar o veículo para conversarem sobre a autoria do homicídio de Maycon, todos desceram e os familiares começaram a questionar as testemunhas. Só que em dado momento, Altamir apoderou de um revólver calibre .22 que portava em uma pochete e entregou a Higo, que ficou com o revólver em punho.

Devido à situação, Gabriel teria se assustado e começou a correr de onde estavam, mas após a corrida, ele acabou retornando até os demais indivíduos. Com o seu retorno, Higo passou a questionar o porquê de ele ter corrido, a discussão se acirrou e Higo resolveu disparar a arma de fogo na direção de Gabriel. O tiro foi dado e acertou na face (bochecha) do jovem, que caiu já desfalecido no chão.

Percebendo que Gabriel estava praticamente morto, os autores decidiram que tinham que tirá-lo de lá, pois estavam perto do velório e saberiam que foram eles os autores deste novo homicídio. Então, Higo teve a ideia de levar o corpo para uma região conhecida por Paraíso. Porém, no caminho, João Carlos disse conhecer um local mais apropriado, quando se direcionaram para frente do povoado de Arraial dos Afonsos. Onde eles colocaram o corpo em um bambuzal daquela região.

Com o passar do tempo, as investigações feitas pela Polícia Civil se intensificarem e os envolvidos retornaram ao local em que o corpo estaria escondido e posteriormente jogaram no Rio Paranaíba dentro de um saco plástico junto com pedras, para que o corpo não fosse encontrado.

A missão dos dois foi realmente bem sucedida, o corpo de Gabriel até hoje não foi localizado e segundo o delegado Érico Rodovalho é muito pouco provável que isso aconteça.

Os dois suspeitos foram presos e responderam por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. As investigações seguem no intuito de localizar os outros dois suspeitos: João Carlos Fernandes e Altamir Vicente Fernandes

Autor: André Martins

Gabriel

 

2 Comentarios

Deixe uma resposta