Mesmo no outono, trabalhos contra o mosquito Aedes Aegypti devem continuar

0
180

 Os cuidados em relação à prevenção e eliminação não devem cessar.

A Secretaria de Estado de Sáude lança a segunda fase da campanha de reforço para enfrentamento ao Aedes Aegypti, mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya. O objetivo, nesta etapa, é intensificar, junto à população, a importância da participação de todos nesse processo.

Ainda que a Dengue, Zika e Chikungunya sejam sazonais, cuja tendência de maior concentração de casos ocorra entre os meses de janeiro a abril, em todo o estado, o vetor das doenças circula durante todo o ano, mesmo com menor intensidade nos meses mais frios e secos (maio a setembro). Dessa forma, os cuidados em relação à prevenção e eliminação de focos não devem cessar.

Em Patos de Minas, o segundo Levantamento Rápido do Índice de Infestação do Aedes Aegypti (LIRAa) 2017, realizado do dia 7 a 9 março em toda cidade, apontou o índice de 1,9% de infestação predial, considerado de médio risco. Esse resultado foi maior que o primeiro levantamento feito nesse ano, que foi de 1,7% e deu um alerta na população, para continuarem a conscientização.

Os principais criadouros do mosquito detectados pelos agentes em Patos de Minas foram pratos de plantas – que ficam embaixo dos vasos, tambores de água, que geralmente armazenam água da chuva, calhas, piscinas, lixo e materiais de construção acondicionados de forma inadequada.

Neste levantamento, a maior incidência de amostras com larvas do mosquito foram detectadas nos bairros Cristo Redentor, Nossa Senhora Aparecida, Santa Terezinha e São José Operário.

Por isso, a alerta é que é fundamental continuar com a vigilância, cuidando de quintais, calhas, pratinhos de plantas, e outros locais que possam acumular água e servir de criadouros do vetor.

Autor: André Martins

Deixe uma resposta