Cinemais é notificado pelo Procon de Patos de Minas

13
32698

Objetivo é proteger o consumidor que tem reclamado e procurado o órgão devido restrições do cinema que ferem a lei

Devido a inúmeras reclamações de consumidores e usuários do Cimena de Patos de Minas, o coordenador do Procon Municipal, Rafael Godinho Nogueira, notificou o Cinemais Cinema Ltda, ontem (16), a cumprir o que orienta o Código de Defesa do Consumidor.

O órgão de defesa do consumidor recomenda que a empresa Cinemais não restrinja a entrada de consumidores, nas salas de exibição de filmes, com produtos alimentícios adquiridos fora das dependências do cinema, de modo a suprir o direito básico de liberdade de escolha; afixe em local de fácil visualização, nas entradas e bilheteria, cartaz com informações claras, precisas e ostensivas sobre eventuais restrições no interior das salas de exibição e produtos permitidos ou não permitidos, independentemente, de terem sido adquiridos no estabelecimento ou não; apresente, no prazo de 30 dias, registro fotográfico e/ou documentação comprobatória da adoção das medidas; fixe cópias da recomendação em local de fácil visualização do consumidor, notadamente na bilheteria e nos locais de acesso às salas de exibição.

O documento foi recebido e assinado pela direção do Cinemais em Patos de Minas.

Fonte: Prefeitura de Patos de Minas

13 Comentarios

  1. Ótimo Cinema e ótimo atendimento! Os clientes é que abusam querem fazer piquenique dentro da sala de Cinema querem levar até sushi eu mesma vi um cliente enchendo o saco por que sushi não é permitido a entrada, e ainda se acha no direito de desacatar todo mundo, so acho que é meio óbvio que esse tipo de alimento entre outros só prejudica os outros clientes pelo mal cheiro e pela sujeira que fazem! Cinemais ta de parabéns

  2. Desde que paguei não importa de onde vem,nem qual alimento seja por que pipoca entra e outros alimentos não.
    Será q tem alguém interessado em prejudicar vendas de batatas, fui impedido de entrar com a embalagem de batatas.

  3. Eu acho que as pessoas não leem direito a reportagem, ou não entendem a matéria! O que nós temos que fazer é colocar um cartaz maior falando os alimentos que podem entrar, que são os alimentos similares aos que vendemos, pipoca, refrigerante de até 1 litro em copos descartáveis, chocolates em barra sucos e água que podem ser comprados em qualquer local. Nunca proibimos alimentos similares de entrar no cinema. É sobre isso que se trata a matéria! Conversei pessoalmente com o coordenador do procon Rafael Godinho! Se tiverem dúvidas podem procurar a administração do Cinema ou ir até o procon!

    • Proíbem sim! Tive a desagradável experiência de ter que abrir até minha bolsa pra verem se eu estava carregando alimentos de outro estabelecimento, estava terminando de comer algo de outra loja e fui obrigada a jogar o restante fora pra entrar no cinema. Depois vi várias pessoas dentro da sala, com salgadinhos, milkshake, batatas e etc.

    • Ou Proíbem sim! Tive a desagradável experiência de ter que abrir até minha bolsa pra verem se eu estava carregando alimentos de outro estabelecimento, estava terminando de comer algo de outra loja e fui obrigada a jogar o restante fora pra entrar no cinema. Depois vi várias pessoas dentro da sala, com salgadinhos, milkshake, batatas e etc.

  4. Esse cinema é ridículo. Não deixam entrar com alimentos e não avisam que é proibido com antecedência, fazendo o consumidor perder boa parte do filme a ter que consumir o alimento fora do local. Não fazem a devolução do dinheiro e nem aceitam remarcar o bilhete. É um absurdo !!! Funcionários sem educação e respeito com o consumidor. Além disso não deixam adolescentes entrarem com meia-entrada no período das férias, já que o comprovante escolar havia sido emitido em novembro e disseram que só é valido comprovante com 1 mês, agora me pergunto, que aluno estuda em janeiro para ter o tal comprovante??? Além disso, praticam preços abusivos e oferecem uma pipoca e refrigerante ruins… e ainda reclamam dos clientes que buscam outra opção para se alimentar. Espero que continue a ocorrer várias e várias reclamações ao Procon.

  5. PIOR CINEMA QUE JA FREQUENTEI
    Funcionários desprepados pessimo atendimento e invasivos, CONTINUAM PROIBINDO ENTRADA DE PRODUTOS SILIMARES ATE MES DE MARÇO DE 2017. Fui OBRIGADA a jogar fora uma embalagem q era igual a do refrigerante vendido! Sinceramente ver filme virou uma cena de horrores, poltronas quebradas cinema sujo e funcionários despreparados.

  6. Nossa hoje fiquei super constrangida com a falta de preparo de um funcionário la no cinema, acho que era novato puxa saco. Na fila de entrada pediram minha carteirinha é o funcionário olhou pra ela é riu da minha foto, fiquei super sem graça. Além de tudo acho muito caro a pipoca, refrigerante e água la na sua própria lanchonete. Querem proibir alimentos com toda razão mas por direito os preços tem que ser mais justos. Ex: uma água mineral por 5 reais no cinema e ao lado a mesma água custa 1,19 ISSO É ABSURDO .

  7. eu sei q venda casada é crime, justamente o que o cinemais vem fazendo
    Venda Casada

    1. Venda Casada é Crime! VOCÊ PODE NEM PERCEBER, MAS MUITAS VEZES É ENGANADO! NÃO PERCA DINHEIRO À TOA!!! SAIBA COMO AS EMPRESAS ATUAM E DEFENDA-SE!

    2. Q Isso é ilegal ! É VENDA CASADA , uma forma de vincular a compra de um produto ou serviço a outro. Venda Casada é crime!

    3. O QUE DIZ A LEI: A Venda Casada é expressamente proibida pelo Código de Defesa do Consumidor – CDC (art. 39, I), constituindo inclusive crime contra as relações de consumo (art. 5º, II, da Lei n.º 8.137/90).
    A Lei 8.137 / 90, artigo 5º, II, III tipificou essa prática como crime, com penas de detenção aos infratores que variam de 2 a 5 anos ou multa.
    E a Lei 8.884 / 94, artigo 21º, XXIII, define a venda casada como infração de ordem econômica. A prática de venda casada configura-se sempre que alguém condicionar, subordinar ou sujeitar a venda de um bem ou utilização de um serviço à aquisição de outro bem ou ao uso de determinado serviço.
    Pelo Código de Defesa do Consumidor, a Lei 8078 / 90, artigo 39º, “é vedado ao fornecedor de produtos ou serviços, condicionar o fornecimento de produto ou de serviço ao fornecimento de outro produto ou serviço, bem como, sem justa causa, a limites quantitativos”.
    E pela Resolução do Banco Central nº 2878/01 (alterada pela nº 2892/01), Artº 17, “é vedada a contratação de quaisquer operações condicionadas ou vinculadas à realização de outras operações ou à aquisição de outros bens e serviços”.

Deixe uma resposta