Indicadores sinalizam reação positiva da economia brasileira

1
280

Pesquisas indicam alguns caminhos que o País deve tomar e revelam que a economia assumiu trajetória de recuperação

Termômetros importantes para o País mostram que a economia vem se recuperando desde o fim do ano passado. Números sobre venda de papel ondulado, pedágio de veículos pesados, consumo de eletricidade e outros sugerem uma reação. Economistas, agora, começam a projetar a volta do crescimento para o terceiro trimestre do ano já com taxas expressivas.

Esses indicadores são importantes porque podem dar uma prévia da direção que o País irá tomar. Quando se vende mais papel ondulado, por exemplo, espera-se aumento do consumo de bens. Já o maior gasto de eletricidade pode indicar maior produção nas fábricas. Com tantos indicadores começando a entrar em campo positivo, as perspectivas para a economia são cada vez mais favoráveis.

Em dezembro, o movimento de veículos pesados em estradas de pedágio cresceu 4,8% frente a novembro. Segundo a Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR), em janeiro, o movimento geral nessas vias cresceu 1% frente a janeiro.

Consumo de energia no País

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) também trouxe dados favoráveis em dezembro do ano passado. O consumo de eletricidade no País avançou 0,5% na comparação com novembro e a indústria foi a principal responsável pelo desempenho. O consumo do setor, no último mês do ano passado, cresceu 0,9%.

Esse dado, somado a uma pesquisa da Fundação Getulio Vargas (FGV), sugere que a indústria esteja em ritmo de retomada da produção. O nível de utilização da capacidade instalada, que é quanto do parque fabril está em uso, cresceu 1,7 ponto percentual no fim do ano passado, para 74,6%.

Investimentos

Diante de todos esses indicadores, o Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (IPEA) passou a acreditar que os investimentos reagiram em dezembro. Uma pesquisa do instituto mostra que houve um crescimento de 3,9% na comparação com novembro.

Fontes: Portal Brasil com informações da ABPO, ABCR, EPE, Ipea e FGV

1 Comentario

Deixe uma resposta