Produtores pegam R$ 72 bilhões em crédito rural

0
346

Contratação de financiamento agropecuário cresceu 2,3% no 2º semenstre de 2016. Investimento em máquinas e implementos lideraram

Influenciado por investimentos em máquinas e implementos, médios e grandes produtores rurais contrataram R$ 72 bilhões em crédito no segundo semestre de 2016 – valor 2,3% maior que o registrado em igual período do ano anterior.

O montante liberado pelos bancos é equivalente a 39% do ofertado pelo governo no Plano Agrícola e Pecuário 2016/2017. Para essa safra, a programação é liberar R$ 183,8 bilhões.

As aquisições de máquinas e de implementos agrícolas, segundo dados do Ministério da Agricultura, lideram os financiamentos classificados como investimento. Até o fim do semestre passado essas operações somavam R$ 4,2 bilhões.

Após a retomada do Programa de Modernização da Frota de Tratores Agrícolas e Implementos Associados e Colheitadeiras (Moderfrota), que cria incentivos para investimentos em máquinas mais modernas, a venda de tratores e máquinas agrícolas avançou mais fortemente e começa a mostrar números  mais expressivos.

“Com essa procura maior e a expectativa dos bancos quanto à crescente demanda no segmento, tornou-se necessário liberar mais R$ 2,5 bilhões para o Moderfrota”, explicou o diretor de Crédito e Estudos Econômicos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Antonio Luiz Machado de Moraes.

Linhas de crédito

Outras linhas de investimentos que tiveram desempenho positivo foram o Moderagro (R$ 266 milhões), Procap-Agro (R$ 1,2 bilhão) e Pronamp (R$ 1,4 bilhão).

As linhas de custeio e de comercialização tiveram retração em comparação com o período de julho a dezembro de 2015. O custeio ficou em R$ 43,6 bilhões ou 14,6% a menos. Já a comercialização caiu quase 6% e somou R$ 11,9 bilhões.

As contratações de crédito rural com recursos provenientes da emissão da Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) totalizaram R$ 9,2 bilhões, no período, no segundo semestre de 2015 esse valor foi de R$ 4,5 bilhões.

Fonte: Portal Brasil

Deixe uma resposta