Índice de Infestação do mosquito Aedes aegypti é considerado de médio risco

0
213

Maior incidência dos focos se concentra em 8 bairros de Patos de Minas.

O Programa Municipal de Combate à Dengue realizou na semana passada, entre os dias 10, 11 e 12 de janeiro, o primeiro LIRAa (Levantamento Rápido de Índice de Infestação por Aedes Aegypti) do ano. Todos os bairros do município de Patos de Minas tiveram cobertura pelos Agentes de Combate a Endemias, que visitaram aproximadamente 4.000 imóveis.

Ao realizar as visitas, os agentes encontraram vários recipientes com a presença de larvas e pupas. Eles recolheram as amostras que foram encaminharam para análise laboratorial. O resultado indicou um índice de infestação predial do município em 1,7, o que é considerado de Médio Risco. “O índice de Médio Risco preocupa todos nós do Programa Municipal de Combate à Dengue (PMCD), uma vez que os fatores climáticos como as chuvas, e calor intenso estão favoráveis para que o ciclo evolutivo do mosquito aconteça de forma mais rápida.” – revelou Sueli Santos, gerente do programa.

Os principais criadouros do mosquitos detectados pelos agentes foram pratos de plantas, que ficam embaixo dos vasos; tambor de água que geralmente armazenam água da chuva; calhas; piscinas; lixo e materiais de construção acondicionados de forma inadequada. A maior incidência de focos se concentra nos bairros Centro, Nossa Senhora Aparecida, Cônego Getúlio, Cristo Redentor, Caramuru, Nossa Senhora de Fátima, Jardim Paulistano e Planalto.

De acordo com a gerente do PMCD, após o resultado do LIRAa, ações de intensificação de combate como mutirões de limpeza, campanhas educativas e a continuidade as visitas domiciliares, serão realizadas em um primeiro momento nos bairros com maior incidência e, em sequência, serão estendidas a todos os bairros da cidade. “A colaboração de toda a população é essencial para que o trabalho de prevenção e combate ao mosquito vetor, transmissor da dengue, chikungunya, zika vírus e febre amarela, seja eficaz.” – esclareceu Sueli.

Para ela, infelizmente alguns moradores ainda têm resistência em receber a visita do Agente de Combate a Endemias. “Por isso, vale ressaltar que todos os imóveis precisam ser visitados e durante a visita o Agente tem muitas informações para repassar a toda a população, além de realizar o tratamento mecânico e químico quando necessário.” – lamentou a gerente.

Para combater o mosquito e evitar epidemias das doenças causados pelo Aedes aegypti, o Programa Municipal de Combate à Dengue sugere que toda a população receba o Agente de Combate à Endemias, ouça com atenção as informações que ele tem. “É importante também que todos adotem a campanha educativa dos 10 MINUTOS CONTRA A DENGUE. Se cada um tirar 10 minutos na sua semana para fazer a vistoria no quintal e na residência é possível eliminar os criadouros do mosquito e, dessa forma, manter a família protegida contra esse mosquito, que mede apenas meio centímetro, mas que pode transmitir tantas doenças.” – salientou Sueli.

 

Deixe uma resposta